Chimay Dorée

Categories: Cervejas,Mesa de bar

Muitos me perguntam qual foi a cerveja que mudou a minha vida. Olha, essa é uma pergunta difícil… A idéia de que uma única cerveja possa mudar sua vida é algo esquisito, mesmo porque, dificilmente bebo apenas uma cerveja em um dia.

A cerveja que me iniciou nas chamadas especiais foi a Erdinger Weissbier, que com seu aroma de cravo e banana me mostrou que uma cerveja podia ter algum aroma, mas ela logo foi substituída por diversas outras, afinal, depois que atiçaram minha curiosidade nunca mais consegui parar de estudar sobre o assunto, e a cada nova cerveja, novas experiências, novos aromas e sabores. Claro que chegou uma hora que a busca por novos sabores se tornou mais difícil, pois não era sempre que os bares nos ofereciam novidades, passei muito tempo bebendo minhas Bamberg Helles e algumas outras cervejas.

Chimay dorée

Mas a coisa tem mudado, cada vez mais os importadores têm se arriscado e buscado novos rótulos, e mesmo que a cerveja não seja um lançamento em seu país de origem, quando chega aqui é sempre uma festa. Confesso que algumas podem decepcionar mas nos últimos meses tivemos gratas surpresas chegando ao mercado, como as cervejas da Omnipollo e Evil Twin. Mas parece que o melhor sempre está por vir, né? Nessa semana recebemos a Chimay Dorée, um rótulo da já mundialmente conhecida Chimay, que a princípio só era vendida na própria fábrica da Chimay, na Bélgica, mas graças aos esforços de seu importador oficial, agora nós, pobres mortais brasileiros, podemos degustar essa maravilha em alguns estabelecimentos selecionados. E ela é realmente uma maravilha, ela é a síntese da idéia de que uma cerveja não precisa ser extrema para ser boa, ela é simples, suave e sutil. Os aromas que ela exala são algo de outro mundo (talvez um mundo que os monges tenham acesso), cítrico, adocicado… Sutil. Sutileza é uma palavra que define essa cerveja. Espuma extremamente cremosa, quase um chantilly e o corpo bem leve, essa cerveja parece ter bem menos que os 4,8% de álcool que apresenta no rótulo, a sensação é de que você pode beber litros e litros dela, sem o menor problema.

Essa cerveja é ideal para aqueles que, assim como eu, estavam bebendo cervejas cada vez mais alcoólicas, mais lupuladas e extremas. Double IPAs, Triple IPAs, Mega-Ultra-Hyper-Imperial Stouts… É uma cerveja que te pega pela mão e te faz largar o X-Box One no meio de uma partida de Titan Fall, liga o Atari e te mostra que a diversão está onde você menos espera, que o prazer também pode estar na simplicidade.

Então, se alguém me perguntar qual cerveja mudou minha vida, direi sem sombras de dúvida: Chimay Dorée!

Vinicius Costa
Author: Vinicius Costa

Carioca, já foi desenvolvedor de sistemas, fotógrafo e bonsaísta. Resolveu colocar sua paixão por cervejas à prova. De Pilsner à Russian Imperial Stout, passando por Barley Wines, Sours e Rauchbiers, sendo cerveja, tá valendo. Continua regando seus bonsai, mas hoje cuida mais do Cerveja Social Clube. Cerveja preferida? A próxima!

One Response to "Chimay Dorée"

  1. Cristiano Barbosa Lima da Silva Posted on 4 de abril de 2014 at 13:59

    Vinícius, é pra mim, então. Vivo minha fase IPA, tudo muito lupulado. Separa a minha aí!!

Deixe uma resposta